sábado, 28 de abril de 2012

Um pequeno conto! (Parte II)

Já faz uma semana que você está em Nárnia, que você chegou àquela terra maravilhosa!! A cada manhã você precisa se beliscar só para saber que de fato você não está sonhando. Há tanta coisa para aprender e você percebe que é quase uma raridade os momentos que vocês passam juntos, aprendendo um pouco mais sobre o outro. E todas as manhãs o primeiro pensamento que lhe vem à cabeça é: “Ai meu Deus, sou noiva do Rei Caspian X e isso significa futura rainha de Nárnia, mas até lá tem tanta coisa para aprender. Meu Deus eu consigo?”

Você tem uma espécie de ritual que a ajuda a saber que de fato isso não é um sonho: assim que se levanta e, antes de pensar em fazer qualquer coisa, você anda até a sacada da janela de seu quarto e admira a mais bela visão que uma mulher pode ter:



Caspian vestindo uma camisa marrom e uma calça negra de montaria cavalgando o corcel negro Destro saindo para seu passeio matinal e você sabe que essa é um forma gentil que ele encontrou de dar tempo a você para se arrumar para o café da manhã. Você dá um sorriso discreto, pois sabe que agora esse homem está destinado a ser seu marido.

Então você lembra do primeiro café da manhã juntos: “- O desjejum é servido as 7h” anunciou, “-mas você terá tempo de se acostumar” acrescentou ele ao reparar em você, não como uma forma de repreensão, mas mais como um lembrete, e mais uma vez ele emitiu um som parecido com divertimento e então você pensa:

“– Ao menos eu o divirto com minha falta de jeito”. O divertimento dele se deve ao fato de você ter se atrasado por não saber direito por qual peça de roupa começar a se vestir e corando um pouco você acrescenta “ – é tanta roupa sobre roupa que agente se atrapalha um pouco, desculpe o atraso”. Mas mesmo com sua falta de jeito aparente ele acrescenta “ – Não consigo imaginar como uma dama tão bela e bem vestida pode ter sido fruto de uma falta de jeito” e com essa frase você ganhou o dia.

Mas, ainda de pé na sacada, você lembra que essa não foi sua primeira gafe. Na realidade o primeiro grande “mico” veio no dia em que segurou a mão do rei. Você ainda lembra da surpresa que sentiu ao sair de casa com ele, e foi exatamente aí que se deu conta que para ser rainha é preciso muita compostura. Tudo começou quando você hesitou. O medo do desconhecido, e junto com as dúvidas de deixar para trás sua mãe e amigas foi mais forte naquele momento e a paralisou. Mas aquele sorriso aberto tão forte, tão cheio de certeza, surpreendente lançou fora qualquer dúvida, mas a gargalhada que ele deu ao ver sua reação de surpresa é a melhor lembrança que você possui daquele dia.

Sempre que imaginou um conto de fadas acontecendo com você, o príncipe, nesse caso o Rei, vinha montado em um corcel branco, ou no caso de Caspian, no corcel negro Destro. Mas nunca havia imaginado aquilo. Caspian não falou, talvez nem tenha pensado que você se surpreenderia, mas ao segurar a mão dele você tentou agir com toda segurança que podia ter, que, naquele momento, se resumia apenas a tentar não tropeçar nos próprios pés nervosos e ansiosos. Mas todo o esforço de se manter aparentemente segura desapareceu quando, ao invés de ver um cavalariço oferecendo as rédeas do corcel Destro, você observa um motorista vestido em um terno negro abrindo a porta de um Lexus igualmente negro. Sua reação é a mais natural possível: tropeça, e quase teria caído se Caspian não tivesse segurado em seu braço, olha para ele boquiaberta sem saber como perguntar. O único pensamento que tem, enquanto o encara de boca aberta, em pura demonstração de surpresa é: “- Onde está o cavalo?”

Ainda gargalhando ele olha para você com um olhar divertido no rosto “ – O quê? Você realmente não esperava um cortejo real em plena cidade grande, esperava? Posso ser rei, mas não sou obtuso, ou pretensioso para tentar impressioná-la cavalgando um corcel em uma auto-estrada!”. E mais uma vez você se pega rindo sozinha no quarto, mais logo volta à realidade. Você quer impressioná-lo todas as manhãs, quer esquecer-se dos pijamas rasgados e mostrar que pode ser a mais bela e competente rainha que um rei pode escolher. Mas quando segurou a mão de Caspian naquela manhã em que deixou sua antiga vida você sabia que enfrentaria muitos desafios, mas nem se quer imaginou que o pior deles seria seu medo de não conseguir ser a rainha que ele sonha “ – Afinal, competir com a beleza da Rainha Suzana e o encantamento que ele tem por ela não é para todo mundo”. Seu pior medo é não corresponder às expectativas dele e sua maior aventura é passar por cima de suas dúvidas e medos “- talvez meu conto de fadas esteja começando agora”.

Continua...

OBS: O texto foi escrito por mim e é proibido o uso deste texto, seus fragmentos, ou demais textos do blog sem a autorização da autora. Sua cópia é considerada plágio e é crime previsto no Código Penal e o infrator será avisado e punido segundo a Lei 9610 Artigo 184

5 comentários:

RafaSR disse...

NOSSA"
EMOCIONANTE
Preciso ler o resto, tá lindo mana'

Peg :) disse...

Liiiiiindo *-*

Kamila Mendes disse...

obrigada gente!...hj ainda posto o 3° capítulo...que bom que vc's gostaram!

Iaia disse...

Ai que lindoooo!!!!Quero mt ler o reto.Os 2 estão perfeitos.

Kamila Mendes disse...

laia muito obrigada...sinta-se a vontade...pode ler o resto que eu vou amar saber o que vc pensa da história... as opiniões servem como um termômetro pra mim!! XD